sábado, 27 de junho de 2015

O dia em que o mundo ficou mais colorido

Ontem, 26 de junho de 2015, é um dia que vai entrar para a história, com a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos, garantindo o direito de casamento entre pessoas do mesmo sexo, dando uma vitória ao movimento gay em todo o país e porque não dizer, no mundo.


Os Estados Unidos tem grande influencia no contexto político, social e cultural do mundo. Tudo o que fazem, reflete e se multiplica. É um passo gigantesco, uma verdadeira reverência aos direitos humanos e à felicidade. 

Centenas de pessoas comemoram a liberação do casamento gay

Do primeiro pedido de casamento gay até a histórica decisão desta sexta-feira, se passaram 44 anos. Em 1971, a Suprema Corte recebeu, pela primeira vez, o pedido de licença de casamento por parte de um casal homoafetivo em Minnesota – e negou.
Nesta sexta-feira, a mesma instituição decidiu legalizar o casamento gay em todo o país, causando comoção e celebração em todo o mundo. 

Prédios de instituições importantes em vários países, ficaram iluminados com as cores do arco-íris, em apoio a causa dos gays

"Hoje é um grande passo em nossa marcha em direção à igualdade. Os casais gays e lésbicas agora têm o direito de se casar, como qualquer outro", escreveu Obama em sua conta no Twitter logo após tomar conhecimento da decisão. Ele é o primeiro presidente a apoiar o casamento gay durante o mandato.

"Esta decisão é uma vitória para a América. Esta decisão afirma o que milhões de norte-americanos já acreditavam em seus corações. Quando todos os norte-americanos são tratados como iguais, somos todos mais livres. Disse ele.

A Casa Branca também ficou colorida

O Estado de Massachusetts se tornou em 2004, o primeiro do país a legalizar o casamento homossexual. Até ontem, 37 estados já haviam legalizado, faltava apenas 13 estados para o país ficar unânime na igualdade dos direitos dos homossexuais.
O juiz americano Anthony Kennedy lembrou que a 14ª Emenda da Constituição americana diz que nenhum Estado deve "privar qualquer pessoa da vida, liberdade ou propriedade, sem o devido processo legal". "As liberdades fundamentais protegidos por esta cláusula incluem a maior parte dos direitos enumerados na Declaração de Direitos".





No mundo, são 22 países que já avançaram nos direitos dos homossexuais, alguns com direitos completos, outros com a constituição adaptada, mas todos buscando igualdade. 

São esses países e suas respectivas datas em que houve a legalização da união homoafetiva:
Holanda, em 2001;
Bélgica, em 2003;
Espanha, em 2005;
Canadá, em 2005;
África do Sul, em 2006;
Noruega, em 2009;
Suécia, em 2009;
Portugal, em 2010;
Argentina, em 2010;
Islândia, em 2010;
Dinamarca, em 2012;
Brasil, em 2013;
Uruguai, em 2013;
Nova Zelândia, em 2013;
França, em 2013;
Inglaterra, em 2014;
País de Gales, em 2014;
Escócia, em 2014;
Luxemburgo, em 2014;
Finlândia, em 2015;
Irlanda, em 2015;
Estados Unidos, em 2015.

O primeiro casamento entre duas pessoas do sexo masculino no Brasil, foi realizado no município de Jacareí, no interior do estado de São Paulo, em 28 de junho de 2011. No mesmo dia, em Brasília, a juíza Junia de Souza Antunes, da 4ª Vara de Família, oficializou o casamento entre duas mulheres.
Em 15 de maio de 2013, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprova uma nova resolução que obriga os cartórios de todo o país a celebrar o casamento civil e converter a união estável homoafetiva em casamento.
Em decisão unânime, dez ministros do STF equipararam a união homossexual à heterossexual. No entender do Supremo, casais gays devem desfrutar de direitos semelhantes aos de pares heterossexuais, como pensões, aposentadorias e inclusão em planos de saúde. Foi reconhecida pelo STF, mas ainda não há uma lei que regulamente o assunto, pois o Código Civil e a Constituição Federal não foram alterados.



Que o amor vença todos os dias!

As mais visitadas do mês