quinta-feira, 30 de julho de 2015

O fotógrafo brasileiro que ajuda centenas de pessoas na África com o seu trabalho

Bruno Feder reverte todo o dinheiro obtido com suas fotos tiradas na África para melhorar a vida de comunidades em Uganda e no Sudão do Sul. O projeto de ajuda humanitária começou em 2013, quando ele decidiu fazer um curso em Nova York. Nesse período, conheceu a fotógrafa Louise Contino.  Quando ela viajou para Uganda para fazer um trabalho fotográfico, ele decidiu acompanha-la como seu assistente. O local que eles foram visitar foi Wanteete, uma comunidade rural com aproximadamente 3 mil moradores, a cerca de 150 km da capital do país, Kampala. O objetivo da viagem era para ensinar 15 moradores de lá a contarem histórias por meio de registros fotográficos.
Ao voltar para o Brasil o jovem teve a brilhante ideia de vender as imagens captadas na comunidade, com o intuito de arrecadar recursos para melhorar a condição de vida dos próprios moradores.




Com o dinheiro arrecadado de 27 fotos, ele voltou a Wanteete em agosto de 2014 e comprou 600 lápis, 600 livros, 200 apontadores, 180 uniformes e tábuas suficientes para fazer mesas e cadeiras para a pequena escola local que não tinha mobília.




Ao ver os resultados positivos de seus esforços, ele fez mais exposições, onde vendeu mais 100 registros da comunidade africana. 

O brasileiro diz: "É importante mostrar coisas positivas de uma região que já é tão estigmatizada. Costuma-se pensar apenas em Aids, pobreza e guerra em relação à África, e não há só isso", afirma. Coloridos e em preto e branco, os registros de Feder custam R$ 350 cada um, em formato 30x40 cm, e privilegiam cenas da vida cotidiana e da natureza locais.




O fotógrafo, que tem formação em Relações Internacionais, diz ter revertido cerca de US$ 25 mil em realizações em Wanteete. O resultado é que com a melhoria em infraestrutura, a escola cresceu e passou a receber mais de 100 alunos.
A partir da terceira visita, em dezembro de 2014, o projeto também financiou ações em saúde. Distribuiu mais de 4.000 preservativos e 500 escovas de dente, vermifugou 200 crianças, montou uma tenda para atendimentos dentários e viabilizou a cirurgia, na capital, de uma moradora idosa com câncer no pescoço.
São essas pequenas atitudes que fazem grandes resultados positivos.

As mais visitadas do mês