sexta-feira, 3 de julho de 2015

O maior e melhor abrigo para gatos do mundo!

Lynea Lattanzio é a fundadora desse lugar fantástico. Ao longo dos mais de 23 anos de funcionamento, estima-se que o abrigo The House Cat on the Kings já tenha salvado cerca de 23 mil gatos e 7.000 cães. 
Olha só que maravilha!


Atualmente os responsáveis do abrigo cuidam de mais de 700 gatinhos, uma dúzia de cães e um punhado de cabras, que ganham seu sustento como cortadores de relva!  O local tem gatos de todas as raças e tamanhos que vivem livres numa propriedade de quase 5 hectares. 
Esse abrigo maravilhoso fica na Califórnia, Estados Unidos.




A missão do "The House Cat on the Kings", é:
- colocar gatos, cães e outros animais resgatados, em amorosas casas permanentes; para proporciona-los um lar seguro, feliz e saudável, sem gaiola;
- para evitar a superpopulação de animais de estimação, através de castração e esterilização;
- para educar o público sobre a posse responsável de animais;
- e para educar as pessoas sobre como se envolver diretamente na melhoria da qualidade do bem-estar animal.





O lar conta com 25 voluntários e custa mais de R$ 10 mil por dia, dependendo inteiramente de doações do público para levar a cabo a sua missão.




A fundadora conta como foi o início desse lindo trabalho.
Depois de um divórcio difícil em 1981, Lynea mudou-se para um lugar mais tranquilo. Ela muitas vezes pensou: "o que faz uma mulher solteira e sem filhos vivendo em uma casa grande em 6 hectares?" 
Nove anos mais tarde, o pai de Lynea pediu sua ajuda para substituir seus dois gatos Manx que morreram de velhice. Em sua busca para localizar gatinhos Manx, Lynea visitou um abrigo animal local, e levou para casa uma caixa com 15 gatinhos abandonados (nenhum deles Manx!). 
Até o final do ano, ela já havia resgatado 96 gatos desabrigados. 
Lynea tinha encontrado sua vocação e o resto, como dizem, é história.


Em 1993, Lynea aprendeu técnicas veterinárias com um veterinário local. Essa experiência a ajudou a aumentar o seu conhecimento médico e a pagar as despesas veterinárias de sua crescente população felina.
 Lynea vendeu sua Mercedes, seu orgulho e alegria, e seu anel de casamento de diamante de dois quilates, para ajudar no crescimento do abrigo.



Em 1997, o Conselho de Supervisores do Condado de Fresno aprovou uma variação de zoneamento para a propriedade de Lynea. Esta variação empurrou o The Cat House no centro das atenções do público, e trouxe voluntários e apoio financeiro.



 Em 2004 a população de gatinhos do abrigo já havia crescido para mais de 500 gatos. O The Cat House já era bem conhecido, mas as doações não estavam mantendo o ritmo das despesas. 
Na ocasião, Doreen Walletum foi um doador muito generoso; deixou grande parte do dinheiro de sua propriedade para o abrigo. Este dinheiro foi usado para comprar seis hectares vizinhos e instalar cercas "à prova de gato" em torno de todo o perímetro.


Hoje, mais de 700 gatos e gatinhos e vários cães aproveitam a vida no The Cat House on the Kings!
Atualmente, Lynea é uma técnica veterinária experiente. Entre suas atividades diárias, estão à procura de felinos abandonados para trazê-los ao santuário, onde podem interagir com os outros colegas peludos de quarto.

Como se as centenas de gatos não fossem suficientes, Lynea ainda cuida de 15 cães. Segundo ela, isso é só o começo.







Lynea diz que os gatos de Nova York sofrem com o abandono, quando seus donos decidem que os apartamentos em que vivem são pequenos demais para seus pets.



 A fotógrafa Christina Gandolfo, autora de algumas das fotos mostradas aqui, descreveu a sua visita ao abrigo: 
"Literalmente, segundos depois de eu ter baixado para pegar a câmera, tinha gatos nas minhas costas, a subir à minha cabeça e pelas minhas pernas … É tão nítido que eles associam pessoas a amor, afeto e atenção..."








Como vemos, é um lugar limpo,tranquilo e divertido para os animais que esperam por um lar definitivo.




 “Tenho certeza de que existem outros locais que fazem este mesmo trabalho. Mas não sei onde estão. Obviamente, são poucos e muito afastados...Todo mundo é bem-vindo".
“Para mim, não é vida se eles estão em uma gaiola. Eles precisam ser capazes de correr a toda velocidade e subir em árvores. Assim vive um gato”, fala Lynea.

As mais visitadas do mês