domingo, 27 de novembro de 2016

AVE DA SEMANA - Pinguim-imperador

Eles são um exemplo de pais dedicados do mundo animal, conseguindo criar os filhotes em um dos ambientes mais inóspitos da Terra


- São aves muito diferentes das demais, desde a aparência até o comportamento. Andam em terra com postura ereta como seres humanos e nadam em águas profundas como peixes. O pinguim-imperador é a única ave que cria seus filhotes no rigoroso inverno antártico e uma das poucas aves que não constrói um ninho.
Eles podem mergulhar mais profundamente e sobreviver mais tempo sem comer do que qualquer outra ave. Conseguem mergulhar até 500 metros de profundidade e podem permanecer até 3 meses sem se alimentar.


- Entre as 17 espécies de pinguins conhecidas até atualmente, os pinguins-imperadores são os maiores. Podem crescer até pouco mais de 1 metro de altura.
Essas aves se adaptaram a um dos ambientes mais desafiadores da Terra. Não é fácil para eles durante os meses de inverno extremo na Antártica, onde ocorrem ventos tão frios quanto -60°C! Mas, eles são equipados com alguns recursos que o ajudam a sobreviverem nesse ambiente. São recobertos com uma porção de gordura corporal, fornecendo isolamento e reservas de energia. Esta gordura permite-lhes sobreviver semanas ou meses sem alimentação.



- Não há comida para eles no gelo, então precisam entrar no mar gelado para pescar. Os mergulhos duram cerca de 18 minutos, geralmente a profundidades de 50 metros. Consomem principalmente peixes.
Os pinguins imperadores também são especialmente adaptados para viajar em seu habitat extremo. Usam as garras fortes dos pés para se agarrar a superfície e deslizam em suas barrigas sobre o gelo. No mar nadam com grande agilidade. Seus corpos aerodinâmicos e nadadeiras fortes os tornam excelentes nadadores.


- Em março e abril, eles se reúnem para se reproduzirem. É aí que começa uma das mais encantadoras demonstrações de amor no mundo animal. Assim que a fêmea coloca um único ovo, ela o empurra nos pés do macho. Este, por sua vez, o equilibra em cima de seus pés. O ovo é incubado inteiramente por ele durante 60 a 67 dias. Durante esse tempo ele não vai comer nada para proteger o seu ovo do frio extremo. O ovo não pode tocar o chão, caso contrário o pintainho dentro iria morrer de congelamento. 


- A fêmea faz a longa caminhada de volta para o mar para se alimentar e só retorna no período de eclosão e alimentação do filhote. Nessa altura, o macho terá ficado sem comida por cerca de 3 meses. Em seguida, é a vez dele também seguir para o mar, período que dura aproximadamente de 3 a 4 semanas, para ganhar o peso que tinha perdido durante o período de incubação.


- Os pais se revesam em turnos, indo e voltando para o oceano para obter comida e alimentar o filhote. Isso continua até o verão (dezembro ou janeiro). Aos 40 ou 45 dias de idade, o pequeno pinguim junta-se a uma "creche" onde ambos os pais o alimentam regularmente até cerca de 5 meses, mantendo todos os pequenos juntos. Os pinguizinhos são alimentados por regurgitação dos pais. 


- A sobrevivência da espécie depende da interação social entre pais e entre pais e filhotes. Os adultos tem uma surpreendente capacidade de encontrar os parceiros e jovens entre a multidão de pinguins. O recurso mais conhecido para encontrarem-se é através da chamada vocal. Como resultado disso tudo, o peso corporal dos pinguins-imperadores varia muito entre cerca de 20 a 45 quilos.


- Em cada ano a maioria vai encontrar um novo companheiro, mas alguns pares escolherão reformar um vínculo novamente e vão formar uma parceria perfeita ano após ano. 


- Os cientistas estimam que existam entre 20 e 40 colônias de pinguins-imperadores na Antártida. As colônias podem ser enormes, com centenas ou milhares de aves.
O pinguim-imperador é muito parecido com o pinguim-rei, a diferença mais visível entre as duas espécies é que os pinguins-reis são mais coloridos, com uma mancha em forma de colher, de cor laranja em cada lado da face.



- Segundo relatos de quem conheceu esta ave pessoalmente, os pinguins-imperadores são aves adoráveis.
Eles caminham até as barracas entre as pessoas em qualquer hora e observam o que está acontecendo com o maior interesse.

Nome em inglês: Emperor Penguin
Nome científico: Aptenodytes forsteri

As mais visitadas do mês