domingo, 7 de maio de 2017

Texto de uma jovem mãe




"Eu sou nova... Tenho 21 anos e sou mãe do Noah. Isso é muito estranho pois antigamente eu costumava ser apenas a Larissa. Primeiramente eu estranhei demais a maternidade, pois eu também achava que nunca seria mãe, apesar de amar crianças...
Também imaginei que nunca casaria (sou casada) mas ao contrário do que muitos pensam, eu quis casar e não fui pressionada a mudar de ideia em momento algum. O parto foi natural... Sofrido.... Corte no períneo 11 pontos....
Eu não dormia, chorava de aflição. Amamentar em público me deixava desconfortável... 
Sexo nos primeiros meses pós parto foram dolorosos e tinha a sensação que meus pontos, mesmo já cicatrizados, iriam rasgar. 
Acordava no total umas 8 vezes por noite para amamentar e ainda assim todos me diziam que o meu filho tinha que dormir em cama separada pois não era bom pro casal. (Coloquei ele na minha cama mesmo assim) hoje ele está com exatos 7 meses e eu ainda acordo de 3 a 4 vezes por noite para amamentar... (Amamento dormindo) larguei minha vida social, perdi minha liberdade, tenho que ouvir opinião alheia de todos sobre como criar meu filho, mas em momento algum eu tive ajuda, ninguém estendeu a mão e disse "você está exausta.... Deixa eu ajudar você!", "vai dormir um pouco... Ir ao cinema com o seu marido ou suas amigas! Aproveita hoje o dia para relaxar!"
A sociedade acha que apenas porque somos mães somos instantaneamente máquinas. Somos privadas de possuir desejos... vontade própria.
E normalmente as mulheres que passaram por isso acham que toda mulher tem que passar também. Eu não! Tem filho quem quer, casa quem quer.... Cada um com a sua vida, porque NINGUÉM vai estender a mão quando você precisar. Ninguém vai te ajudar, quando seus cabelos caírem com a amamentação, vc ficar exausta, chorar, ficar mal, todos vão julgar vc como fraca... Como se tudo que vc faz pelo bem do seu filho não fosse mais que sua obrigação! 
Mas é como eu disse... Cada um faz suas escolhas... E apesar de ser difícil... Não existe nada melhor nesse mundo que dormir abraçada com o meu gordinho, olhar ele nos olhos enquanto eu o amamento. Ver a felicidade dele ao aprender uma coisa nova... De saber que eu fiz esse ser humano... Que eu fui capaz de ensinar td que pude a ele! Eu amo meu filho demais, apesar de tudo! E isso sendo psicológico ou biológico eu não ligo. Sou feliz sendo a mãe do Noah."

- Lari Moura

As mais visitadas do mês